Veja todas as obras

Pedro Escosteguy | Estate

Pedro Geraldo Escosteguy foi pintor, escultor, poeta. Em 1938, forma-se em medicina, em Porto Alegre. Na década de 1950, integra o Grupo Quixote e publica os livros “Canto à Beira do Tempo”, 1955, e “A Palavra e o Dançarino”, 1958. Vive no Rio de Janeiro de 1960 a 1980, e colabora com as revistas O Cruzeiro e Leitura. Inicia-se na pintura em 1964, no ateliê de Antonio Dias, sob o incentivo deste e de Tomoshige Kusuno. Começa também a realizar objetos, vários dos quais possuem um sentido de crítica social e política. Integra as mostras “Opinião 65” e “Opinião 66”, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, onde também participa, em 1967, da mostra “Nova Objetividade Brasileira”. Em 1968, faz o texto e o roteiro do documentário “Arte Pública”, realizado pela Totem Filmes, em São Paulo, e participa do evento “Arte no Aterro”, no Rio de Janeiro. Integra ainda a Secretaria e Comissão de Planejamento da Associação Internacional de Artistas Plásticos. Em 1971, realiza a instalação “Um Comedor de Carcereiros”, na Galeria Claude Bernard, em Paris. Atua nas artes até 1980. Retorna a Porto Alegre, onde grava, em 1986, alguns de seus poemas em disco e publica o livro “Relatório da Noite”, 1988.
 
Texto extraído da Enciclopédia Itaú Cultural.





Nascido em Santana do Livramento, Brasil.
1916 – 1989

Exposições Individuais

2003

Pedro Geraldo Escosteguy – Poéticas Visuais. Museu de Arte do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil.



Exposições Coletivas

2003

Arte e Sociedade: uma relação polêmica. Itaú Cultural, São Paulo, Brasil.

2002

Caminhos do Contemporâneo: 1952/2002. Paço Imperial, Rio de Janeiro, Brasil.

Relatório da Noite. Centro Cultural CEEE Érico Veríssimo, Porto Alegre, Brasil.

1998

Trinta Anos de 68. Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro, Brasil.

1995

Opinião 65: 30 anos. Centro Cultural Bando do Brasil, Rio de Janeiro, Brasil.

A nova figuração – Anos 60. Galeria Jean Boghici, Rio de Janeiro, Brasil.

1994

Bienal Brasil Século XX. Fundação Bienal, São Paulo, Brasil.

1992

As Artes no Poder. Paço Imperial, Rio de Janeiro, Brasil.

1985

Opinião 65. Galeria de Arte Banerj, Rio de Janeiro, Brasil.

Caligrafias e Esculturas. Galeria Sergio Milliet, Rio de Janeiro, Brasil; Galeria Espaço Alternativo, Rio de Janeiro, Brasil.

1980

Homenagem a Mário Pedrosa. Galeria Jean Boghici, Rio de Janeiro, Brasil.

1978

O Objeto na Arte: Brasil anos 60. Museu de Arte Brasileira, São Paulo, Brasil.

1975

Salão de Verão. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

1973

XXII Salão Nacional de Arte Moderna. Rio de Janeiro, Brasil.

XXX Salão Paranaense. Curitiba, Brasil.

1972

Salão de Acrílico. Rio de Janeiro, Brasil.

Semana de Arte Moderna de Curitiba. Curitiba, Brasil.

1971

XX Salão Nacional de Arte Moderna. Rio de Janeiro, Brasil.

Exposição Coletiva. Galeria Gáber, Amsterdã, Países Baixos.

Exposição Coletiva. Galeria Claude Bernard, Paris, França.

1969

I Salão da Bússola. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

II Feira de Arte do Rio. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

1968

I Feira de Arte do Rio. Rio de Janeiro, Brasil.

Exposição das Bandeiras. Praça General Osório, Rio de Janeiro, Brasil.

Arte no Aterro: um mês de arte pública. Aterro do Flamengo, Rio de Janeiro, Brasil.

XVII Salão Nacional de Arte Moderna. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Exposição Coletiva. Galeria Cleô, Rio de Janeiro, Brasil.

1967

XVI Salão Nacional de Arte Moderna. Rio de Janeiro, Brasil.

Seleção de Vanguarda. Rio de Janeiro, Brasil.

IX Bienal de São Paulo. Fundação Bienal, São Paulo, Brasil.

IV Salão de Arte Moderna do Distrito Federal. Teatro Nacional Cláudio Santoro, Brasília, Brasil.

Nova Objetividade Brasileira. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Exposição de Natal. Galeria Relevo, Rio de Janeiro, Brasil.

Exposição Galérie (Múltiplos). Rio de Janeiro, Brasil.

1966

Ponto de Vista. Galeria Convivium, Salvador, Brasil.

Pare. Galeria G4, Rio de Janeiro, Brasil.

Supermercado 66. Galeria Relevo, Rio de Janeiro, Brasil.

Manifestação Apeningue. Galeria Atrium, São Paulo, Brasil.

8 Artistas. Galeria Atrium, São Paulo, Brasil.

Opinião 66. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Vanguarda Brasileira. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil.

1965

Opinião 65. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

VIII Bienal de São Paulo. Fundação Bienal, São Paulo, Brasil.

Proposta 65. Fundação Armando Álvares Penteado, São Paulo, Brasil.

1964

XIII Salão Nacional de Arte Moderna. Rio de Janeiro, Brasil.



Bibliografia

AFRÂNIO COUTINHO, J. Galante de Souza. Enciclopédia de Literatura Brasileira. São Paulo: Global; Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional/DNL: Academia Brasileira de Letras, 2001.

ALMANAQUE SELEÇÕES. Rio de Janeiro: Ipiranga, 1970.

AMARAL, Aracy Abreu. Arte para quê? A preocupação social na arte brasileira. 1930-1970. São Paulo: Nobel, 1984.

ANOS 60: a volta à figura: marcos históricos. Instituto Cultural Itaú. São Paulo: ICI, 1994. (Cadernos história da pintura no Brasil; 5).

Autores Gaúchos. Porto Alegre: IEL, 1988.

AYALA, Walmir. Dicionário de pintores brasileiros. Curitiba: Ed. da UFPR, 1997.

ASSIS BRASIL, Luiz Antonio de; MOREIRA, Maria Eunice & ZILBERMAN, Regina. Pequeno dicionário da literatura do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Novo Século, 1999.

BARATA, Mario. Catálogo I.B.E.U.: arte com plásticos. Rio de Janeiro: 1971.

BIASOLI, Vitor. Grupo Quixote: História e produção poética. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1994.

BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 1984.

BRAGANÇA, Soraya Patricia Rossi. Os Anticontos de Pedro Geraldo Escosteguy: edição crítica. Dissertação (Mestrado em Letras) – Instituto de Letras e Artes, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 1996.

BRAGANÇA, Soraya Patricia Rossi. Pedro Geraldo Escosteguy: um expoente. Expressão, Santa Maria–RS, v. 1, n. 1, p.206-213, 2000.

BRAGANÇA, Soraya Patricia Rossi. O vanguardismo de Pedro Geraldo Escosteguy na letra e na imagem. Jornal do Margs, Porto Alegre, n. 51, p. 3, 1999.

BRAGANÇA, Soraya Patricia Rossi. Pedro Geraldo Escosteguy e o Grupo Quixote. Folha de Letras, Porto Alegre, p. capa e central, abril de 2001.

BRAGANÇA, Soraya Patricia Rossi. Os anticontos de Pedro Geraldo Escosteguy. Jornal Fala Brasil, Porto Alegre, v. 54, p. 10, setembro de 2000.

BRAGANÇA, Soraya Patricia Rossi. Pedro Geraldo Escosteguy: o inovador. Jornal Fala Brasil, junho de 2002.

BRAGANÇA, Soraya Patricia Rossi. O vanguardismo de Pedro Geraldo Escosteguy: o literário e pictórico. Tese (Doutorado em Letras). Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2003.

BRAGANÇA, Soraya Patricia Rossi. Acervos: os bastidores da obra. In: Coleção Cadernos do Centro de Pesquisas Literárias da PUCRS, 2002. v. 8, p. 77-80.

BRAGANÇA, Soraya Patricia Rossi. Os anticontos de Pedro Geraldo Escosteguy. In: Fronteiras da Criação, São Paulo: Annablume: Fapesp, 2000. p. 181-186.

BRAGANÇA, Soraya Patricia Rossi. Pedro Geraldo Escosteguy. In: BORDINI, Maria da Glória (Org.). Centro Cultural CEEE Érico Veríssimo. Porto Alegre, 2002. p. 145-146.

BRAGANÇA, Soraya Patricia Rossi. O acervo literário e pictórico de Pedro Geraldo Escosteguy In: VIII CONGRESSO INTERNACIONAL ABRALIC (Associação Brasileira de Literatura Comparada) 2002, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: UFMG, 2003.

BRITO, Ronaldo. Neo-concretismo. vértice e ruptura. Projeto construtivismo brasileiro. Rio de Janeiro: FUNART, 1975.

HISTÓRIA DA PINTURA NO BRASIL. v. 5. São Paulo: Instituto Cultural Itaú, 1994.

Catálogo Bienal Brasil Século XX. São Paulo: 1999.

Catálogo da IX Bienal de São Paulo. São Paulo: 1967.

Catálogo da VIII Bienal de São Paulo. São Paulo: 1965.

Catálogo do XII Salão Nacional de Arte Moderna; 1964.

Catálogo do XVI Salão Nacional de Arte Moderna; 1967.

Catálogo do XVII Salão Nacional de Arte Moderna; 1968.

Catálogo do XX Salão Nacional de Arte Moderna; 1971.

Catálogo do XXII Salão Nacional de Arte Moderna; 1973.

Catálogo IV Salão de Arte Moderna do Distrito Federal. Brasília: 1967/1968.

CAVALCANTI, Carlos (Org.). Dicionário brasileiro de artes plásticas. Brasília: MEC/INL, 1974.

Ciclo de Exposições sobre arte no Rio de Janeiro. Opinião 65. Rio de Janeiro: Galeria de arte BANERJ, 1985.

CÓRDULA FILHO, Raul. De sonhos, signos e símbolos, ao entendimento do universo. São Paulo: Galeria Arte Global, 1978.

COSTA, Marcus de Lontra. Coleções do Brasil: Museu de Arte Assis Chateaubriand. Paraíba: Universidade Federal da Paraíba/UEPB, 2001.

COUTINHO, Wilson e ARAGÃO, Cristina. Catálogo de Opinião 65: 30 anos. Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil, 1995.

DUARTE, Paulo Sérgio. Anos 60: Transformações da arte no Brasil. Rio de Janeiro: Campos Gerais, 1998.

Enciclopédia O Universo e o homem: a evolução da humanidade. Séc. XX. São Paulo: Samambaia, s. d. v. 5, p. 77 e 78.

ESCOSTEGUY, Pedro Geraldo. Poesia reunida. Organização de Martha Goya. Porto Alegre: L± EDIPUCRS, 1996.

FAORO, Raymundo. Introdução. In: SALDANHA, Heitor et al. Poesia Quixote. Porto Alegre: Globo, 1956.

FARACO, Sérgio & HICKMANN, Blasio H. Quem é quem nas letras rio-grandenses. 2. ed. Porto Alegre: SMEC, Div. de Cult., 1983.

FRANCO, Ceres. Catálogo de Opinião 65. Rio de Janeiro, 1965.

GERCHMAN, Rubens. Arte brasileira contemporânea. Rio de Janeiro: FUNARTE, 1978.

GOYA, Martha Celina de Couto. Pedro Geraldo Escosteguy: uma poética em ação; edição crítica de Madrugada primitivas e Livro de haicais. Dissertação (Mestrado em Letras) – Instituto de Letras e Artes, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 1993.

GOYA, Martha Celina de Couto. Haicais Inéditos: Pedro Geraldo Escosteguy. In: Brasil, Brazil: revista literária brasileira. Porto Alegre, Mercado Aberto, 1995.

GOYA, Martha Celina de Couto. Pedro Geraldo Escosteguy. In: Letras de Hoje. n. 95. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1994.

Grande enciclopédia Larousse Cultural. Rio de Janeiro: Nova Cultura, 1999.

LIMA, Marisa Alvarez. Marginália: arte e cultura na "idade da pedrada". Rio de Janeiro: Salamandra, 1996.

LEITE, José Roberto Teixeira. Gente nova, nova gente. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1967.

MAUTNER, Jorge. Catálogo de Proposta 65. São Paulo: 1965.

MORAIS, Frederico. Artes Plásticas: a crise da hora atual. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975.

MORAIS, Frederico. Cronologia das artes plásticas no Rio de Janeiro 1816-1994. Rio de Janeiro: Topbooks, 1965.

OITICICA, Hélio. Aspiro ao grande labirinto. Rio de Janeiro: Rocco, 1986.

OITICICA, Hélio. Catálogo Nova Objetividade Brasileira: Museu de Arte Moderna. Rio de Janeiro: 1967.

PECCININI, Daisy Vale Machado (Coord.). O Objeto na arte: Brasil anos 60. São Paulo: Fundação Armando Álvares Penteado, 1978.

PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.

ROSA, Renato & PRESSER, Décio. Dicionário de artes plásticas no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Ed. da Universidade/UFRGS, 1997.

SALDANHA, Heitor et al. Poesia Quixote. Porto Alegre: Livraria do Globo, s. d.

SCHEMBERG, Mario. Catálogo do Grupo Neo-realista na galeria G-4. São Paulo: Galeria Atrium, 1966.

SCHÜLLER, Donald. A Poesia no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1987.

SODRÉ, Nelson Werneck. História da literatura brasileira. 9. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995.

URBIM, Carlos. Rio Grande do Sul: um século de história. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1999.

Visão da terra: arte agora. Rio de Janeiro: Atelier de Arte e Edições, 1977.

ZANINI, Walter (Coord.). História geral da arte no Brasil. São Paulo: Instituto Walter Moreira Salles, 1983.

ZILBERMAN, Regina. A literatura gaúcha: temas e figuras da ficção e da poesia do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: L&PM, 1985.

ZILBERMAN, Regina. Roteiro de uma literatura singular. Porto Alegre: Ed. da Universidade/UFRGS, 1992.